Neste sábado (11), aproximadamente 3.600 professores e funcionários se reuniram na assembléia estadual sediada em Maringá. A categoria aprovou a greve a partir de 15 de março. Até esta data, o objetivo é fazer com que o governo revogue a resolução 113/2017-SEED, fazendo mobilizações e diálogo com a sociedade.
A greve se dá por uma série de medidas tomadas pelo governo, como a redução da hora-atividade, o sistema de distribuição de aulas e o atraso para o pagamento do reajuste salarial.
Caso haja paralisação, o governo pretende descontar dos salários os dias parados.

guazelli

Todos Posts

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado.