Nesta quinta-feira (29/06), em sessão deliberativa, o presidente Eunício Oliveira chegou a ler o requerimento de urgência para a tramitação da reforma trabalhista, do líder do governo, Romero Jucá (PMDB-RR).
Jucá queria que o requerimento de urgência fosse também aprovado de maneira simbólica pelo plenário. A oposição não concordou e pediu verificação de quórum. Diante do baixo comparecimento dos senadores, Jucá concordou em adiar a votação para a próxima terça-feira (04/07).
Caso a urgência seja votada na terça-feira, o presidente do Senado deve respeitar o intervalo de duas sessões para colocar a reforma trabalhista na pauta. Para não perder tempo, Eunício pode convocar duas sessões deliberativas na terça e assim, na quarta-feira (05/07), a proposta já estaria pronta para votação.

guazelli

Todos Posts

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *