Nesta segunda-feira (31/07) o Ministério Público Federal (MPF) apresentou recurso contra a sentença que condenou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.
O juiz Sérgio Moro condenou Lula a 9 anos e 6 meses por corrupção passiva e lavagem de dinheiro em razão do triplex no Guarujá. Mas absolveu das acusações envolvendo o armazenamento do acervo presidencial por falta de provas.
A força-tarefa do MPF pede aumento da pena aos réus do processo e também a condenação de Lula, do ex-presidente da OAS Léo Pinheiro e de Paulo Okamoto, presidente do Instituto Lula, em relação ao armazenamento do acervo presidencial. Segundo o MPF, o serviço foi pago pela OAS.

guazelli

Todos Posts

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado.