Após mandar três novos projetos de ajuste fiscal à Assembleia Legislativa do Paraná nesta quinta-feira (04/08), o governador Beto Richa (PSDB) voltou a criticar sindicatos de servidores em discurso durante a visita de João Doria (PSDB) a Curitiba.
Richa disse que há funcionários públicos que desfrutam de “privilégios” e que sindicatos que representam o funcionalismo têm “demandas infinitas e insaciáveis” que podem quebrar o estado.
Segundo ele, houve “grandes dificuldades” para aprovar o ajuste, pois os “puxadinhos do PT” tentaram “agredir” o governo quando “se organizaram no Centro Cívico”. Embora não tenha sido explícito, Richa fez referência ao 29 de abril de 2016 – quando o estado colocou a Polícia Militar contra uma multidão de servidores que protestava contra a votação na Assembleia de mudanças na previdência estadual, no episódio que ficou conhecido como “batalha” ou “massacre do Centro Cívico”.
No discurso, Richa disse que é preciso tratar da previdência com “lucidez”, pois ela pode quebrar. Ele disse ainda que, entre a popularidade e garantir o futuro do Paraná, optou pelo segundo.

guazelli

Todos Posts

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *