O relator da reforma política na Câmara, Vicente Cândido (PT-SP), dobrou o valor previsto de recursos públicos que, segundo o projeto, vão financiar campanhas eleitorais daqui para frente.
Na versão anterior do relatório, Cândido estabeleceu que 0,25% da receita corrente líquida do governo em 12 meses seria destinada a financiar campanhas. Havia uma exceção apenas para as eleições de 2018, com o valor do fundo em 0,5% da receita corrente líquida, o que corresponde hoje a cerca de R$ 3,6 bilhões.
No novo parecer, o relator decidiu transformar essa exceção em regra. Agora, o valor do fundo será de 0,5% da receita corrente líquida, de maneira permanente.
A comissão que analisa a reforma política pode votar o parecer nesta quarta-feira (09/08).

guazelli

Todos Posts

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado.