Na denúncia apresentada na terça-feira (05/09) pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, ao Supremo Tribunal Federal (STF), é destacado uma série de repasses eleitorais que teriam sido recebidos pela senadora Gleisi Hoffmann (PT) por meio das atividades mantidas pelo “quadrilhão do PT”.
Quando a petista disputou a prefeitura de Curitiba, em 2008, a Procuradoria Geral da República (PGR) fala de um repasse de R$ 150 mil da Odebrecht e de um pagamento de uma dívida de R$ 1,5 milhão ao marqueteiro João Santana via “planilha italiano”, sob responsabilidade do ex-ministro Antonio Palocci.
O pagamento a João Santa via caixa 2 já tinha sido citado pela esposa do marqueteiro, Mônica Moura, em depoimento ao juíz Sergio Moro, em abril.

guazelli

Todos Posts

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *