Se referindo a uma ação civil pública que pede a retirada dos retratos dos militares que governaram o Brasil no período da ditadura da galeria de presidentes da República, o pré-candidato à presidência e deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ), se manifestou em grupos de WhatsApp projetando sua vitória e afirmando que voltará com as fotos. “Se retirarem, eu coloco tudo novamente em 2019 e ainda acrescento a do coronel Ustra”, ameaçou.
O coronel Carlos Brilhante Ustra é uma referência para Bolsonaro, que foi seu amigo. Na votação do impeachment de Dilma Rousseff, em 2016, ele homenageou o coronel durante seu voto pelo afastamento da petista, o que causou polêmica. O caso foi parar no Conselho de Ética da Câmara, sob acusação de apologia ao crime de tortura, mas foi arquivado por 11 a 1.

guazelli

Todos Posts

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *