Uma determinação feita pelo Ministério Público do Paraná (MP-PR) pedindo a exoneração de cargos comissionados no Instituto das Águas, foi assinada por Iram de Rezende, diretor-presidente do instituto, em minuta de Termo de Ajuste de Conduta (TAC) com o órgão de controle.
A exoneração de oito comissionados e outras sete medidas foram discutidas na reunião, realizada em Santo Antônio da Platina, no Norte Pioneiro. A medida significaria economia mensal de R$ 27 mil aos cofres públicos.
Em maio, a promotora Kele Cristiani Bahena, que atua no Norte Pioneiro, abriu um inquérito civil para investigar unidades do Instituto das Águas em Jacarezinho e Cornélio Procópio que supostamente empregariam “comissionados sem qualificação técnica para a função desempenhada e sem cumprir jornada de trabalho”.
Após cinco meses e três reuniões com a direção do órgão público, a representante do MP-PR obteve a sinalização de que o governo do Paraná assinaria um TAC, comprometendo-se a reparar a situação. Porém, até o momento, o termo ainda não foi assinado, apesar das negociações iniciais.

guazelli

Todos Posts

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *