O Ministério Público do Paraná (MP-PR) e a Prefeitura de Londrina, por meio da Procuradoria Jurídica do município, investigam a suspeita de fraude na cobrança do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU). Um procedimento aberto pelo Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (Gaeco) apura se servidores da Secretaria da Fazenda deram descontos indevidos ou apagaram dívidas do sistema de informática da prefeitura em troca de propina.
O suposto esquema foi descoberto pela Procuradoria Jurídica do município, segundo o procurador-geral João Luis Esteves. “Era apagado do sistema o que estava escrito lá, como os débitos ou créditos para o município, de impostos, ou eram reduzidos”, afirmou.
Já em relação aos funcionários, não houve afastamento. Por cautela, dois servidores foram transferidos de setor durante as investigações.
Na promotoria, três funcionários ligados à Secretaria de Fazenda já prestaram depoimento. São dois servidores e uma ex-estagiária, que já teve o contrato encerrado e não trabalha mais na administração municipal. Os três tinham acessos a senhas usadas para gerenciar o pagamento de impostos.

guazelli

Todos Posts

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *