Após desistir de fazer a visita ao presídio de Aparecida de Goiânia (GO) por ter sido alertada de que havia explosivos no local, a ministra Cármen Lúcia, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), veio a Curitiba nesta terça-feira (09/01). Ela visitou o complexo penitenciário de Piraquara, na Região Metropolitana da capital.
Na conclusão da visita a ministra destacou a atuação do conselho da comunidade junto ao Estado para tentar propor soluções novas “para um problema que é gravíssimo, da condição dos presos e, especificamente, da condição dos direitos dos presos”.
Depois da visita à penitenciária, a ministra foi ao Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR) onde assinou um convênio para que o estado passe a ter acesso ao Banco Nacional de Monitoramento de Prisões. O sistema, desenvolvido pelo CNJ, reúne as informações processuais e pessoais de todos os presos sob custódia do Estado, permitindo que o cidadão saiba precisamente quantos presos o país tem, onde eles estão e por que motivo estão encarcerados.

guazelli

Todos Posts

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado.