Ainda na tentativa de suspender seu júri popular em Curitiba, marcado para os próximos dias 27 e 28, o ex-deputado estadual Fernando Ribas Carli Filho agora apela ao Supremo Tribunal Federal (STF), instância máxima do Judiciário.
A defesa do ex-parlamentar já tentou o Tribunal de Justiça do Estado do Paraná (TJ-PR) e também o Superior Tribunal de Justiça (STJ), sem sucesso. O Habeas Corpus (HC) com pedido de liminar ao STF está nas mãos do ministro Gilmar Mendes e foi protocolado, nesta quarta-feira (21/02), um dia após a negativa do ministro do STJ Sebastião Reis Júnior.
No STF, os advogados de Carli Filho repetem os argumentos já oferecidos ao STJ. Para a defesa, o júri popular não deveria ocorrer em Curitiba, pois “há fundadas dúvidas sobre a imparcialidade dos jurados e indicativos concretos de comoção social e intranquilidade local”.
No HC com pedido de liminar, feito ao STF, a defesa quer a suspensão do júri popular já marcado e a transferência do ato para outra cidade do Paraná. Gilmar Mendes pode decidir a qualquer momento.

guazelli

Todos Posts

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado.