Em depoimento à Polícia Federal nesta quinta-feira (19/04), em Brasília, o empresário Joesley Batista, do grupo J&F, disse que pagou um “mensalinho” de R$ 50 mil a Aécio Neves (PSDB-MG) entre julho de 2015 e junho de 2017, atendendo a um pedido do senador.
Nesta sexta-feira (20/04), o jornal “Folha de S.Paulo” divulgou a informação do suposto pagamento do “mensalinho”, que consta em um anexo complementar da delação premiada que Joesley entregou para a Procuradoria-Geral da República (PGR) em agosto de 2017.
Joesley relatou que, em 2015, o senador o chamou em seu apartamento no Rio de Janeiro e pediu o pagamento de R$ 50 mil por mês, que deveriam ser feitos para a Rádio Arco-Íris Ltda., de Minas Gerais. A rádio emitiria notas fiscais desses pagamentos.
De acordo com o empresário, Aécio afirmou a ele que “o pagamento era muito importante”. Joesley disse ainda que o dinheiro era para custear despesas do senador.
Ainda segundo o relato de Joesley às autoridades, mesmo durante o período em que ocorreram os repasses, Aécio entrou em contato para cobrar. O empresário disse que o senador o procurou pedindo para que não deixasse de pagar o ano de 2016.
Joesley disse que, apesar de ter feito os pagamentos, não sabe se algum serviço foi de fato prestado pela rádio. Ele ressaltou que o os pagamentos foram feitos, mas não sabe dizer se de fato algum serviço foi prestado pela rádio.
Em nota, a defesa do senador disse que Aécio jamais pediu dinheiro para Joesley. De acordo com a nota, Joesley age de “má-fé” e com “desespero” diante do risco de ter o acordo de delação premiada anulado.

Fonte: G1

guazelli

Todos Posts

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado.