O deputado Osmar Serraglio (PP-PR) afirmou que quando era ministro da Justiça do governo Temer, no ano passado, sofreu pressões dos senadores Aécio Neves (PSDB-MG) e Renan Calheiros (MDB-AL).
Serraglio disse que Aécio tentou alterar o curso de investigações na Operação Lava Jato e que Renan Calheiros fez pressão contra ele. Segundo o deputado, essas pressões resultaram na demissão dele do ministério.
Na última terça-feira, enquanto o Supremo Tribunal Federal (STF) decidia que Aécio se tornaria réu por causa das acusações feitas por delatores do grupo J&F, o deputado fez um discurso no plenário da Câmara.
Sem mencionar diretamente o nome de Aécio Neves, o ex-ministro falou sobre pressões que teria recebido do tucano para aceitar a indicação de um delegado da Polícia Federal escolhido pelo senador.
No mesmo discurso, sem dar detalhes, ele disse que sofreu o mesmo tipo de pressão do senador Renan Calheiros.
Osmar Serraglio deixou o Ministério da Justiça em maio do ano passado. Não ficou nem três meses no cargo. Ele tomou posse em março e foi demitido em maio.
Em notas, as assessorias de Aécio Neves e Renan Calheiros contestaram as acusações de Serraglio (leia mais ao final desta reportagem).

guazelli

Todos Posts

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado.