A Justiça determinou o bloqueio de R$ 150 mil da promotora Solange Vicentim, de Londrina, no norte do Paraná. Ela é acusada de favorecer a empresa que atualmente faz a coleta de lixo no município.
De acordo com o Ministério Público do Paraná (MP-PR), as negociações entre a promotora e o dono da empresa Kurica Ambiental, ocorreram em 2015, quando um contrato para a coleta em Londrina se encerrou.
Solange, na época promotora do Meio Ambiente, teria pressionado a prefeitura para que a Kurica fosse contratada para prestar o serviço. Ela defendeu a coleta com o uso de transbordo, cuja capacidade técnica já havia sido informada pela empresa antes de vencer a licitação.
Para o juiz que determinou o bloqueio, não parece admissível que um membro do MP sugira a contratação de uma empresa determinada valendo-se da autoridade de seu cargo.
A Kurica e Marcos Almeida de Oliveira também tiveram os bens bloqueados. A medida é para assegurar recursos para cobrir eventuais condenações ao fim do processo. A ação pede ainda que a promotora seja condenada à perda de função pública, suspensão dos direitos políticos e pagamento de multa.

Fonte: G1

guazelli

Todos Posts

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *