A Procuradoria Geral da República (PGR) enviou nesta segunda-feira (07/05) ao Supremo Tribunal Federal (STF) uma manifestação na qual defendeu que o inquérito relacionado aos R$ 51 milhões apreendidos em Salvador (BA) permaneça na Corte.
Os alvos deste inquérito são o deputado federal Lúcio Vieira Lima e o irmão dele, o ex-ministro Geddel Vieira Lima, ambos do MDB, e mais quatro pessoas. A PF encontrou digitais de Geddel nas malhas que guardavam o dinheiro.
O documento da PGR é assinado pela procuradora-geral, Raquel Dodge, e foi enviado à Segunda Turma do Supremo.
Os ministros que compõem a Turma decidirão nesta terça (08/05), primeiro, se o caso permanece na Corte ou se será remetido à primeira instância da Justiça. Se mantiverem o inquérito no STF, votarão se aceitam ou não a denúncia da PGR.

Fonte: G1

guazelli

Todos Posts

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado.