O prefeito de Curitiba, Rafael Greca (PMN), cobrou do Tribunal Regional Federal (TRF-4) – a segunda instância da Justiça Federal, cuja sede é em Porto Alegre, uma solução para o acampamento pró-Lula no entorno da Polícia Federal (PF), no bairro Santa Cândida. Em conversa com os desembargadores, o prefeito repetiu o pedido que havia feito no começo do mês para que o ex-presidente seja transferido da carceragem da PF para um presídio.
“O prédio da PF não é uma penitenciária e a Justiça não pode violar a lei. Conversei com desembargadores do TRF-4 de Porto Alegre e fui muito bem recebido”, declarou o prefeito em entrevista à Rádio Eldorado, de São Paulo.
No Facebook, Greca postou nesta quarta que a prefeitura protocolou na Justiça junto com 130 moradores do Santa Cândida a retirada dos acampamentos pró-Lula do bairro. Na última segunda-feira (07/05), a prisão de Lula em Curitiba completou um mês com uma sequência de ocorrências no entorno da Polícia Federal.
Lula cumpre pena de 12 anos de prisão na PF em Curitiba desde 7 de abril, dois dias depois de ter tido a prisão decretada pelo juiz Sergio Moro no caso do triplex do Guarujá (SP) e após o Supremo Tribunal Federal (STF) ter-lhe negado um habeas corpus. O ex-presidente foi condenado em segunda instância pelo TRF-4 de Porto Alegre.
Desde então, militantes do PT, MST, CUT e outros movimentos sociais acampam perto da sede da PF em Curitiba em vigília pela libertação do ex-presidente. O local também tem recebido visitas de líderes do PT e de outros partidos.

Fonte: Gazeta do Povo

guazelli

Todos Posts

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado.