No último dia 9 de maio, representantes de diversas entidades ligadas a funcionários públicos estaduais participaram de uma reunião com o deputado Pedro Lupion (DEM), para levar ao parlamentar as reivindicações dos servidores em relação ao pagamento da data-base. Curiosamente, ao noticiar a reunião, o site da Assofepar (Associação dos Oficiais Policiais e Bombeiros Militares do Estado do Paraná) exibiu uma foto do encontro, mas o registro foi editado para excluir a imagem do presidente da AMAI (Associação de Defesa dos Direitos dos Policiais Militares Ativos, Inativos e Pensionistas), coronel Elizeu Furquim.


A AMAI emitiu uma Nota Oficial denunciando e criticando o fato, que expõe publicamente uma disputa entre as instituições representativas dos militares. Segundo a AMAI, nunca houve intenção de disputar espaço com outras instituições, especialmente em um momento como este, em que todos os servidores estaduais devem estar unidos em torno do maior objetivo comum, que é a busca pelo pagamento da data-base das categorias. A AMAI foi criada em 1991 e tem, atualmente, mais de 17 mil associados, entre policiais da ativa, inativos e pensionistas. A Assofepar foi fundada em 2014 e conta com aproximadamente 900 associados, entre oficias policiais e bombeiros militares do estado do Paraná. 


Este é um momento para somarmos nossas forças, e não para dividir ou disputar espaços”, afirmou o presidente da AMAI, coronel Elizeu Furquim, lamentando o fato de ter sido excluído da foto publicada pela Assofepar. Na nota oficial, a AMAI lamenta a “tamanha falta de ética da Assofepar com uma atitude tão mesquinha e se pergunta: por que tanta preocupação em “esconder” a presença do presidente da AMAI?”. 

Manipulação de imagens


Este não é o primeiro episódio de manipulação de imagens envolvendo associados da Assofepar. Em 2015, uma foto oficial da Operação Verão foi editada para apagar uma tatuagem de dragão do braço direito do então secretário de Segurança, o atual deputado federal Fernando Francischini (PSL). À época, Francischini declarou que a alteração foi realizada por um personal stylist. 


Sobre a edição da fotografia


Pode-se perceber que, na foto original, o coronel Furquim está sentado ao lado do deputado Lupion. Já na foto editada, ele não aparece e, em seu lugar, há apenas uma mancha branca – que apaga, inclusive, metade da janela que fica ao fundo de onde estava o coronel. 


O presidente da AMAI, coronel Elizeu Furquim, ainda está analisando se entrará ou não com medidas judiciais contra a Assofepar, por ter sido apagado da fotografia. Ele está participando de uma reunião da ANERMB (Associação Nacional de Entidades Representativas de Militares e Bombeiros), uma associação universal, defendendo os direitos dos militares estaduais. 

Com assessoria.

guazelli

Todos Posts

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *