O vereador Tito Zeglin (PDT) apresentou um projeto que pretende proibir que pessoas alimentem os pombos que vivem em Curitiba. “Os pombos domésticos (Columba livia) são considerados pragas urbanas, pois podem transmitir doenças ao homem e causar danos materiais a bens públicos ou privados”, alega o parlamentar. O projeto proíbe a alimentação e a manutenção de abrigos, bem como a comercialização de alimentos para pombos nas vias e logradouros públicos.
Outra medida prevista no projeto é que os proprietários de imóveis com infestação de pombos deverão providenciar redes e outros obstáculos visando dificultar o seu pouso e construção de ninhos. Na justificativa, Zeglin lembra de algumas doenças que podem ser transmitidas pelos pombos, como por exemplo, a psitacose, a salmonelose, a histoplasmose e a criptococose. Além disso, ele alega que há os parasitas como piolhos de pombos, ácaros, percevejos e carrapatos. Além das questões de saúde, o vereador aponta que as fezes dos pombos são extremamente corrosivas, danificam a lataria dos carros e são difíceis de limpar quando caem na calçada além das penas, que entopem bueiros.
O projeto prevê que o descumprimento sujeitará o infrator às seguintes penalidades: advertência e multa no valor de R$ 200, aplicada em dobro após cada reincidência. De acordo com o texto, a multa será atualizada anualmente pela variação do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), apurado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), acumulada no exercício anterior. Caso aprovada e sancionada, caberá ao Executivo regulamentar a lei no que couber em 90 dias após sua publicação.

Fonte: Bem Paraná

guazelli

Todos Posts

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado.