As lideranças do governo e da oposição na Assembleia Legislativa fecharam acordo para começar a votar nesta segunda-feira (09/07), o reajuste salarial dos servidores públicos estaduais, emperrado há mais de um mês. Segundo o oposicionista, deputado Tadeu Veneri (PT), a liderança governista concordou em inverter a pauta para votar primeiro a proposta da governadora Cida Borghetti (PP), de reajuste de 1% para os servidores do Executivo. Também foi decidido que será votado novo pedido de regime de urgência para o projeto, retirado na semana passada pela governadora.
Os servidores do Executivo – que estão com os salários congelados há dois anos – cobram o mesmo índice de reajuste de 2,76%, relativo à reposição da inflação dos últimos 12 meses, previsto para os funcionários do Legislativo, Judiciário, Tribunal de Contas, Defensoria Pública e Ministério Público. O governo alega não ter como pagar a reposição, alegando que os gastos com pessoal estão no limimte, e que um aumento maior do que 1% colocaria em risco o acordo de renegociação da dívida do Estado com a União.
A bancada de oposição apresentou, com o apoio do bloco independente e parlamentares do grupo do pré-candidato ao governo, Ratinho Júnior (PSD), uma emenda ao projeto do governo para aumentar o índice de reajuste para 2,76%. Ao todo, 31 dos 54 deputados assinaram a emenda, o que indicaria a possibilidade de uma derrota para o governo.
Também está na pauta de votação da sessão de hoje a proposta de Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para 2019. Pelo regimento da Assembleia, os deputados só podem entrar em recesso após votar a LDO.

Fonte: Bem Paraná

guazelli

Todos Posts

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado.