Na convenção nacional do PMN neste sábado (21/07), em Brasília, a escolha de Valéria Monteiro como candidata à Presidência da República foi rejeitada. O partido tinha vetado candidatura própria, mas a jornalista recorreu da decisão na Justiça, que assegurou a análise do nome durante a convenção nacional. O nome foi rejeitado pelos dirigentes nacionais.
Durante a convenção, além de não ter candidatura própria, a legenda decidiu ainda não apoiar a candidatura de outro partido durante o primeiro turno.
Antes da análise do nome da candidata, Valéria Monteiro pediu para falar e o presidente da legenda, Antonio Carlos Massarollo negou, com o argumento de que ela não é convencional. A negativa causou tumulto e Massarollo pediu à segurança para retirá-la do evento.
Ao sair, a jornalista afirmou que deve entrar com uma ação para anular a convenção, que, segundo ela, “foi a demonstração de como o processo eleitoral brasileiro é fraudulento”.

Fonte: G1

guazelli

Todos Posts

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado.