O Ministério Público do Paraná (MP-PR) instaurou dois inquéritos criminais para apurar as eventuais participações do presidente da Assembleia Legislativa, Ademar Traiano (PSDB), e do deputado estadual Plauto Miró (DEM) nos desvios apurados pela Operação Quadro Negro. Os processos têm como base a colaboração premiada de Eduardo Lopes de Souza, dono da Construtora Valor e principal delator do esquema que, segundo as investigações, desviou mais de R$ 20 milhões de obras em escolas estaduais.

Os inquéritos criminais foram instaurados pelo procurador-geral de Justiça, Ivonei Sfoggia, após o Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR) ter autorizado a investigação dos deputados. O MP-PR confirmou oficialmente a abertura dos processos, mas acrescentou que não pode fornecer detalhes sobre o andamento das investigações porque os trabalhos transcorrem sob segredo de Justiça.

Em sua delação, Lopes de Souza havia mencionado que Traiano teria sido beneficiado pelo esquema, ao receber propina proveniente de dinheiro desviado de obras das escolas. O deputado nega. Segundo o empresário, os repasses de recursos à campanha de Traiano, em 2014, teriam sido definidos em reunião realizada na casa do então governador Beto Richa (PSDB).

Fonte: Gazeta do Povo

guazelli

Todos Posts

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *