A sessão da Câmara de Vereadores de Londrina, no norte do Paraná, marcada para votar o relatório da Comissão Processante (CP) que deu parecer favorável pela cassação dos vereadores Mário Takahashi (PV) e Rony Alves (PTB) por quebra de decoro parlamentar, foi suspensa nesta segunda-feira (20/08).

Takahashi e Alves são réus da Operação Zona Residencial 3 (ZR3), que investiga um esquema de cobrança de pagamento de propina para alterar projetos de zoneamento urbano. Os dois parlamentares são réus na ação criminal por organização criminosa e corrupção. Eles negam as acusações.

A suspensão se deu após parecer da Procuradoria Jurídica da Câmara sobre a ordem do Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR) determinando que a votação só ocorra após a CP ouvir o vereador Mário Takahashi.

A defesa de Takahashi alegou que o parlamentar não foi convocado oficialmente para depor, a Comissão dispensou uma testemunha de defesa e não comunicou a data do interrogatório, que ocorreu no dia 5 de agosto. Essa decisão do TJ-PR é de sexta-feira (17/08).

O presidente da Câmara de Vereadores Ailton Nantes (PP), disse que a Casa irá recorrer da decisão do Tribunal de Justiça e também deve entrar com um pedido para suspender o prazo final de julgamento da Comissão, que vence na quinta-feira (23/08).

O procurador Miguel Aranega afirma que os vereadores investigados foram citados e intimados de todos os atos.

Takahashi e Alves estão afastados das funções desde janeiro deste ano. Outra determinação do Tribunal negou recurso da defesa dos parlamentares e prorrogou, por mais 180 dias, o afastamento dos vereadores dos cargos.

Fonte: G1

guazelli

Todos Posts

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado.