O Ministério Público de São Paulo denunciou o ex-conselheiro do TCE (Tribunal de Contas do Estado) Eduardo Bittencourt Carvalho sob acusação dos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro.

Segundo o promotor de Justiça Marcelo Mendroni, do Gedec (Grupo Especial de Delitos Econômicos), Bittencourt cobrou e recebeu R$ 2 milhões em propinas para, em troca, tomar decisões favoráveis ao consórcio das empreiteiras Camargo Corrêa e Andrade Gutierrez no lote 3 da obra da Linha 5-Lilás do Metrô.

A denúncia foi feita por meio de depoimentos e documentos entregues por executivos da Camargo Corrêa à Promotoria.

Os repasses eram disfarçados por meio de contratos fictícios com escritório de advocacia e contabilidade, cujos responsáveis também foram denunciados por lavagem de dinheiro.

Bittencourt, que chegou a presidir o tribunal, foi afastado do tribunal pela Justiça no final de 2011 sob a acusação de enriquecimento ilícito: ele acumulou um patrimônio de R$ 50 milhões quando era conselheiro, incompatível com o salário que recebia, segundo a acusação do Ministério Público aceita pela Justiça.

Ele conseguiu voltar ao cargo em 2012 por decisão do STJ (Superior Tribunal de Justiça) e aposentou-se em seguida.

Fonte: Bem Paraná

guazelli

Todos Posts

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado.