O movimento “Mulheres Unidas Contra Bolsonaro”, que surgiu a partir de um grupo fechado no Facebook, e foi criado para unir mulheres indignadas com o posicionamento político e plano de governo do candidato do PSL à presidência da República, deputado federal Jair Bolsonaro (RJ), marcou uma manifestação na Boca Maldita, em Curitiba, para o próximo sábado, 29. Segundo os organizadores, em 48 horas, mais de doze mil pessoas aderiram à mobilização no Facebook.

A organização já promoveu dois encontros oficiais, e conta atualmente com mais de 120 mulheres distribuídas em várias funções: música, jurídico, comunicação, organização, segurança, entre outras.
Mais de 20 mil pessoas, mulheres e homens, negras e negros, a comunidade LGBT, e outros coletivos já teriam confirmado presença ou se mostraram interessadas no evento oficial. A manifestação vai começar na Boca Maldita e percorrerá a Rua XV de Novembro até a Praça Santos Andrade.

No plano nacional, em menos de 24 horas já somavam-se mais de um milhão e meio de mulheres interessadas no movimento. O movimento Mulheres Unidas Contra Bolsonaro diz ser apartidário, e acolher todos quantos apoiem a causa.

As manifestações estão previstas para ocorrerem por todo Brasil, simultaneamente. “O grande objetivo é deixar bem claro que não aceitamos um candidato à presidência da república, declaradamente machista, misógino, racista, homofóbico, intolerante, antidemocrático, que defende tortura e violência, que não respeita as liberdades individuais e, sem qualquer proposta concreta, apenas se promove com discursos de ódio”, diz o texto de divulgação do evento.

A organização recomenda que as pessoas evitem levarem bandeiras de partidos para preservar a identidade apartidária do movimento.

Fonte: Bem Paraná

guazelli

Todos Posts

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado.