O Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco) de Guarapuava denunciou no último dia 14 de setembro o ex-presidente do Instituto Ambiental do Paraná (IAP), Luiz Tarcísio Mossato Pinto, e a sua filha, Amanda Nunes Pinto, por corrupção passiva. Mossato é candidato a deputado estadual pelo PSDB e teve registro indeferido no Tribunal Regional Eleitoral do Paraná (TRE-PR).

O processo é um desdobramento da Operação Container, que investiga esquemas de fraude a licitação, corrupção e lavagem de dinheiro em dois grupos empresariais com atuação no mercado de transporte e destinação de resíduos sólidos no interior do Paraná. A denúncia também envolve o empresário Augustinho Stang (dono da empresa Sabiá Ecológico), preso desde o dia 24 de julho, Fábio Gambin, engenheiro químico da Sabiá, e Glaucos de Oliveira, que foi estagiário do IAP em Curitiba.

O juiz Alberto Moreira Cortes Neto, da Vara Criminal de Laranjeiras do Sul, emitiu um parecer no último dia 21 e deu 15 dias de prazo para os denunciados apresentarem defesa.

Fonte: Gazeta do Povo

guazelli

Todos Posts

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado.