O presidente do DEM, Antônio Carlos Magalhães Neto, divulgou nota nesta quarta-feira (10/10) anunciando que o partido não apoiará no segundo turno da disputa pelo Palácio do Planalto nem Jair Bolsonaro (PSL) nem Fernando Haddad (PT). No entanto, o comunicado do DEM destaca que os integrantes da legenda terão liberdade para apoiar quem quiserem na reta fina da eleição presidencial.

Nos últimos três dias, vários partidos têm se posicionado em relação ao segundo turno, seja a favor de Bolsonaro, de Haddad ou declarando neutralidade.

No primeiro turno, o DEM integrou a coligação do presidenciável do PSDB, Geraldo Alckmin. Em sua segunda tentativa de assumir o comando do Planalto, o tucano ficou na quarta colocação, com 4,76% dos votos válidos. Além de Bolsonaro e Haddad, o candidato do PDT, Ciro Gomes, também ficou à frente de Alckmin na votação do último domingo. (07/10).

“Ficam, assim, os nossos líderes e militantes de todo Brasil liberados para, seguindo as suas convicções, apresentarem a sua manifestação de voto neste segundo turno”, disse ACM Neto.

O partido, que atualmente tem 43 deputados federais, conseguiu conquistar 29 cadeiras na Câmara nesta eleição. Apesar de ter eleito 21 deputados em 2014, ao longo da legislatura, muitos parlamentares de outras legendas migraram para o DEM.

Fonte: G1

guazelli

Todos Posts

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado.