O Paraná ganhou mais um banco no mês passado. Desde o dia 9 de setembro, conforme comunicado oficial do Banco Central (BC), o conglomerado financeiro do Grupo Barigui, tradicional no segmento de concessionárias, obteve a autorização para atuar também como um banco múltiplo. O Banco Barigui irá atuar no mercado com uma carteira de financiamentos — ou seja, como uma financeira —, e uma carteira de investimentos, cujos produtos estão em fase final de formatação para serem apresentados ao mercado.

“Ainda não temos uma data exata, digamos, para o lançamento oficial do banco, mas seguramente ela deve ocorrer até o fim do ano”, afirma José Evangelista de Souza, procurador do Conglomerado Financeiro do grupo. Ele revela que estão em processos de finalização os últimos detalhes para o lançamento, como por exemplo, a logo do conglomerado e do banco.

O banco nasceu por meio de uma autorização para a mudança do objeto social da Barigui Financeira. “É um tipo de operação que permite que se transforme uma financeira em um banco, no caso um banco múltiplo, que muda o seu objeto social, mas é uma operação prevista nas normas do Banco Central”, explica Evaldo Perussolo, Diretor Financeiro do conglomerado.

Sem dar muitos detalhes, os diretores afirmaram que terão dois produtos iniciais do banco: o crédito consignado e o crédito financeiro imobiliário, que eram os produtos com os quais a Barigui Financeira já atuava, por meio da Barigui Companhia Hipotecária para operações de cunho imobiliário, com garantia real. “Eles passarão por algumas adequações apenas”, diz o diretor.

Com a alteração, o grupo, por meio de uma carteira de investimentos, terá mais competitividade para ir ao mercado. “Com isso, por exemplo, poderemos oferecer novos produtos de captação para os nossos clientes, além de poder participar de consultoria para algumas empresas, como construtoras, incorporadoras, e auxiliar esses investidores na estruturação de projetos imobiliários mais assertivos”, diz Perussolo. Desse modo, esses projetos podem ser viabilizados no mercado sob a forma de Certificado de Recebivíes Imobiliários (CRIs) para serem ofertados no mercado de capitais e assim, se capitalizarem.

Fonte: Bem Paraná

guazelli

Todos Posts

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado.