O Tribunal Regional Eleitoral do Paraná (TRE-PR) desmentiu ontem por meio de nota em seu site oficial mais um boato que circula no Whatsapp e outras redes sociais. A notícia falsa, ou fake news, diz que que as urnas estariam preparadas para funcionar de acordo com o horário de verão e que, por isso, os votos registrados a partir das 16 horas não seriam computados. “Isso é mentira”, pontua o TRE.

De acordo com a nota publicada pelo tribunal, as urnas no Paraná estão programadas para funcionar no horário oficial de Brasília. “Quando os eleitores forem votar no próximo domingo, dia 28 de outubro, a hora que estiver marcando no seu relógio coincidirá com o horário mostrado pelas urnas. Também é importante esclarecer que a urna não pode ser encerrada antes das 17h, mas ela pode seguir funcionando após as 17h até que se encerre a fila dos eleitores que chegaram à seção eleitoral dentro do horário limite da votação. E esses votos registrados após as 17h são computados”, esclarece o TRE.

Na nota, o TRE conclui dizendo que “o boato não possui nenhuma relação com a realidade e todos os votos registrados, do início ao final da votação, serão computados”.

Desde a véspera do primeiro turno das eleições, o TRE-PR realiza uma série de publicações para desmentir boatos, fake news e informações distorcidas. O desembargador Luiz Taro Oyama, presidente do TRE-PR, convocou uma Audiência Pública para ocorrer hoje sobre a Segurança da Votação Eletrônica. O evento, aberto para qualquer pessoa, será às 14 horas no auditório da sede do TRE-PR, na Rua João Parolin, 224, em Curitiba.

Na semana passada, uma comissão de auditores organizada pelo TRE informou que não há indícios de qualquer tipo de fraude no funcionamento das urnas eletrônicas. Oito equipamentos foram auditados ao longo da última sexta-feira (19), em Curitiba, após impugnação (contestação) da Comissão Provisória do PSL, partido do candidato à presidência Jair Bolsonaro, após relatos de que as urnas concluíram o processo de votação “imediatamente após a digitação dos dois números para candidato à presidente.” A comissão de auditoria promoveu um teste de votação e o boletim de urna impresso indicou o mesmo resultado apurado na votação real. Segundo o relatório final divulgado pelo TRE, os sistemas instalados nas urnas auditadas são os mesmos que foram lacrados pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). E, segundo a comissão, as urnas estavam em perfeitas condições de uso e funcionamento.

Assinaram o relatório três auditores do TRE-PR, dois do TRE de Santa Catarina, três do TSE, um integrante da Polícia Federal, outro da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-PR), além de representantes do PDT e do PT. O enviado do PSL deixou a auditoria antes do final e o do Patriotas não compareceu. Em meio à onda de “fake news” que tomou conta do País no período eleitoral, o TRE destaca que a auditoria é importante provar a lisura do processo eleitoral.

Fonte: Bem Paraná

guazelli

Todos Posts

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado.