Povos indígenas organizaram na manhã desta sexta-feira (12) um bloqueio na BR-277, na região metropolitana de Curitiba. Os manifestantes interditaram os dois sentidos da rodovia em protesto contra o cancelamento de contratos no âmbito da Secretaria Especial de Saúde Indígena (SESAI), o que tem inviabilizado o atendimento à saúde nas comunidades. A interdição ocorreu por volta das 6h30.

O protesto na RMC envolve na sua maioria indígenas da etnia Guarani, porém a mobilização é regional e também tem a participação das etnias Kaiguangue e Xetá nos estados de Santa Catarina e Rio Grande do Sul. O Sul é a região mais atingida até o momento com o processo de desmonte da SESAI promovido pelo governo Jair Bolsonaro (PSL), que chegou a anunciar no início do governo a extinção do órgão vinculado ao Ministério da Saúde.

As lideranças indígenas demandam uma reunião com a secretária dos Povos Indígenas do governo federal, Sílvia Waiãpi. Após uma primeira sinalização positiva, a secretária se negou a dialogar com os manifestantes, permanecendo o impasse. Até o fechamento desta matéria, a BR-277 seguia interditada. Uma equipe da Polícia Rodoviária Federal (PRF) está no local acompanhando a mobilização.

Ocupações

Paralelo as interdições de rodovias, seguem as ocupações de sedes distritais da SESAI em várias regiões. Em Curitiba cerca de 100 indígenas ocupam a sede, motivados pela ameaça de não renovação do contrato de motoristas que atendem urgências em comunidades. Atualmente a Secretaria terceiriza este tipo de serviço. Além disso, eles lutam contra o processo de desmonte do órgão.

Reportagem do Porém.net.

Imagem: Manuel Caleiro.

guazelli

Todos Posts

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado.