Em nota divulgada nesta terça-feira (16), o ministro da Justiça, Sergio Moro, negou que tenha liberado dinheiro da 13ª Vara Federal de Curitiba para que o procurador Deltan Dallagnol produzisse um comercial de TV onde seria mostrado um clima de terror e pânicopara conseguir a adesão popular para a proposta das 10 Medidas Contra a Corrupção.

“Cabe esclarecer que, como juiz, jamais liberou qualquer verba ao Ministério Público para custear a campanha publicitária sobre as Dez Medidas Contra a Corrupção”, disse Moro, na nota.

As informações foram reveladas nesta segunda-feira (15) pelo jornalista Reinaldo Azevedo com base nas mensagens recebidas pelo site The Intercept.

Em um chat de 16 de janeiro de 2016, Dallagnol enviou uma mensagem para Moro pedindo para que o magistrado, então titular da 13ª Vara Federal, liberasse recursos financeiros para uma campanha das 10 medidas contra a corrupção – pacotes de sugestões legislativas que tem como um dos idealizadores o próprio Dallagnol – que seria veiculada na Globo.

“Se for so uns 38 mil achi [quis escrever “acho”] que é possível. Deixe ver na terça e te respondo”, respondeu Moro, ao pedido feito por Dallagnol, segundo os diálogos divulgados.

Na nota, o atual ministro de Jair Bolsonaro diz que “nunca houve qualquer tipo de direcionamento de recursos da 13ª Vara Federal para campanha publicitária ou qualquer ato relacionado às Dez Medidas Contra a Corrupção”.

Reportagem: Revista Fórum.

guazelli

Todos Posts

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado.