247 – Jair Bolsonaro voltou a alimentar a guerra na direita com provocações ao governador de São Paulo, João Doria (PSDB), seu provável adversário político na corrida presidencial de 2022. Para Bolsonaro, o tucano está “morto” politicamente na disputa.

“Não dá para forçar ser quem você não é”, disse em conversa com um grupo de jornalistas no Quartel-General do Exército, em Brasília, neste sábado 1.

Os dois fizeram provocações públicas nos últimos dias, com Bolsonaro acusando Doria de ter ‘mamado nos governos do PT’, por conta da compra de uma aeronave com ajuda do BNDES. Doria respondeu ao ataque.

Bolsonaro também mirou seu ministro da Justiça, Sergio Moro, lembrando mais uma vez do ministro da AGU (Advocacia Geral da União), André Mendonça, para a indicação de uma futura vaga no Supremo Tribunal Federal.

“Não me comprometi com o Moro no STF. Durante a campanha, o que eu prometi foi alguém do perfil do Moro”, disse, segundo reportagem de Danielle Brant, da Folha. Em seguida, disse que o ministro da AGU  é “terrivelmente supremável”.

Em julho, Bolsonaro já havia cogitado o nome de Mendonça para a Suprema Corte, usando a expressão “terrivelmente evangélico” para elogiá-lo.

Brasil247.

guazelli

Todos Posts

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado.