O ex-ministro Fernando Haddad, em entrevista à rádio CBN nesta terça-feira (17), comentou sobre as últimas declarações do ex-ministro Ciro Gomes. Segundo ele, o candidato do PDT à presidência nas eleições de 2018 se recusou fazer parte da chapa do PT. Ao jornalista Kennedy Alencar, o ex-prefeito de São Paulo criticou a postura do pedetista de se recusar a chamar o impeachment de golpe e de dizer que teria ganho de Jair Bolsonaro se fosse para o segundo turno da última eleição.

Haddad declarou que Ciro foi procurado por Lula para ser vice em chapa liderada pelo ex-presidente e que seria encabeçada por Ciro caso houvesse impedimento do petista, mas não aceitou. O candidato pelo PT em 2018 afirmou que conversou pessoalmente com Mangabeira Unger, guru de Ciro, para que o pedetista integrasse a chapa de Lula, mas recebeu um não como resposta.

Ao ser questionado sobre o fato de Ciro evitar chamar o golpe de 2016 de “golpe” em entrevista dada na última semana, Haddad declarou que não há espaço para dúvidas e citou o comentário de Michel Temer no Roda Viva desta segunda-feira. “Eu jamais apoiei ou fiz empenho pelo golpe”, disse o emedebista, que ainda revelou que tentou impedir o avanço do processo do impeachment após um telefonema do ex-presidente Lula.

“Nós temos que fazer um balanço crítico e sereno. Eu acho que o Ciro tem toda condição de ser candidato, acho que ele tem uma contribuição importante pro país, mas nós estamos falando da história do Brasil, temos que ser muito criteriosos”, declarou Haddad, em referência às declarações de Ciro que disse que teria vencido Bolsonaro em seu lugar.

Reportagem: Revista Fórum.

guazelli

Todos Posts

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado.