Ligado às milícias do Rio de Janeiro, ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), que protagonizou o primeiro grande escândalo da era Jair Bolsonaro, Fabrício de Queiroz segue na ativa e usa o nome do filho do presidente para negociar mais de “500 cargos lá, na Câmara e no Senado”.

Reportagem de Juliana Dal Piva, na edição desta quinta-feira (24) no jornal O Globo, revela um áudio de Whatsapp, que teria sido gravado em junho deste ano, em que Queiroz dá dicas de como fazer indicações políticas em gabinetes de parlamentares.

(Ouça o áudio na reportagem d’O Globo)

“Tem mais de 500 cargos, cara, lá na Câmara e no Senado. Pode indicar para qualquer comissão ou, alguma coisa, sem vincular a eles (família Bolsonaro) em nada”, diz Queiroz, ressaltando que “20 continho aí para gente caía bem pra c**”.

Procurado pela reportagem, Queiroz admitiu que mantém a influência por ter “contribuído de forma significativa na campanha de diversos políticos no Estado do Rio de Janeiro”.

Reportagem: Revista Fórum.

guazelli

Todos Posts

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado.