Com o objetivo de lutar contra os recentes ataques do governo Ratinho, durante toda a manhã de sábado (23), professores(as) e funcionários(as) de escola da rede pública estadual se reuniram em assembleia para definir os próximos passos do Sindicato. Em decisão unânime, a categoria decidiu deflagrar greve, que inicia a partir do dia 2 de dezembro. Já no dia 3, será realizado um ato unificado contra a reforma de Ratinho.

O presidente da APP-Sindicato, Professor Hermes Leão avalia que é necessária a mobilização da categoria. “A nossa assembleia aprovou a greve, superando as dificuldades de calendário. Esta é uma resposta para o governo Ratinho Jr., que não dialoga com a categoria e ainda encaminha uma PEC que acaba com nossas aposentadorias. É uma resposta também aos desmando da Secretaria de Estado da Educação (Seed) e sua desorganização no processo de matrículas do ensino médio noturno, às condições de trabalho, as ameaças de piorar a distribuição de aula e também o ataque aos PSSs”.

Após o ato, será realizada uma assembleia para avaliar o movimento e deliberar os próximos passos. Foi aprovado também, uma vigília dos aposentados no dia 2 de dezembro, em frente a Catedral de Curitiba . “Essa vigília tem o papel de denunciar para a sociedade o ataque violento, a redução dos salários, cuja a média já são os mais baixos do serviço público, que são dos(as) servidores(as) aposentados(as)”, destaca Professor Hermes Leão.

APP-Sindicato.

Imagem: João Paulo Vieira.

guazelli

Todos Posts

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado.