O 20 de novembro é lembrado como o Dia Nacional da Consciência Negra. Nesta data e ao longo de todo o mês de novembro, escolas da Região Metropolitana de Curitiba recebem a Mostra Afro Cultural Baobá, projeto itinerante gratuito que está desenvolvendo diversas atividades de história e cultura afro junto a alunos e professores da rede pública de ensino. Ao todo vinte escolas situadas nos municípios de Almirante Tamandaré, Fazenda Rio Grande, Pinhais e Piraquara, participam do projeto.

A iniciativa conta com o apoio da Copel e incentivo do Profice (Programa Estadual de Fomento e Incentivo à Cultura), da Secretaria de Estado da Comunicação e Cultura (SECC), do Governo do Paraná. A mostra é voltada a alunos e professores e foi desenvolvida com o intuito de mostrar como a cultura africana esteve, e está, presente na formação da sociedade brasileira, auxiliando educadores a cumprir uma das diretrizes curriculares nacionais que trata da obrigatoriedade da temática “História e Cultura Afro-Brasileira”, conforme a LEI Nº 10.639, de 9 de janeiro de 2003.

As atividades são aplicadas por um grupo formado por artistas e professores e acontecem sempre em dois turnos, manhã e tarde, e promovem um verdadeiro “Dia da Consciência Negra na Escola”, com temáticas culturais que envolvem teatro, dança afro, artes visuais, contação de história, palestra, além de merenda que traz como prato principal a típica feijoada. Todas as atividades são desenvolvidas num único dia em uma instituição de ensino específica que, inicialmente, aceitou receber o projeto.

Um dos profissionais envolvidos na mostra é o produtor Gilmar Rodrigues de Lima (44). Responsável em coordenar a execução do projeto nas escolas, foi ele quem elaborou a temática do evento. “O projeto foi escrito em 2017 e passou por um longo processo até se tornar realidade este ano. Pensei em algo que levasse gratuitamente às escolas públicas os conceitos étnico-racial e de respeito à diversidade cultural e religiosa oriundas da matriz africana e afro-brasileira”, conta.

Para Lima, a receptividade dos alunos e professores tem superado as expectativas. “Tem sido maravilhoso levar este projeto para as escolas da região metropolitana de Curitiba, pois sabemos a importância e a relevância do tema para as regiões periféricas onde muitos alunos são discriminados. Professores, diretores e gestores das instituições de ensino estão colaborando de forma expressiva, as oficinas estão sendo bem frequentadas e aplaudidas para a nossa surpresa”, revela.

Equipe

A Mostra Afro Cultural Baobá tem coordenação geral de Gilmar Rodrigues de Lima (GH Produções Culturais), com direção de produção de Helen Bastos e assistência de produção de Marluce Francisca. Compõe ainda a equipe Kênia Coqueiro (Arte educadora, palestrante e oficineira), Tony Blake (Músico), Leonardo Novaes (Músico), Luiz Gustavo Corrêa Guedes (Músico), Geisa Costa (Contadora e atriz), Laremi Paixão (Professora), Stephanie Fernandes (Professora), Luiz Eduardo Woellner (Fotógrafo), Maria de Lourdes Bastos (Cozinheira) e André Coelho (Arte finalista).

Agenda

Até o momento a mostra já passou por dezoito unidades escolares nos municípios de Almirante Tamandaré, Fazenda Rio Grande, Pinhais e Piraquara. Nesta semana o projeto finaliza com oficinas no colégio professor Mário Brandão Teixeira Braga amanhã (29), em Piraquara.

Redes sociais

Acompanhe as ações do projeto no facebook e instagram, curtindo e seguindo os perfis “Mostra Afro Cultural Baobá”.

Fotos: Luiz Woellner.

guazelli

Todos Posts

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado.