O discurso em que Roberto Alvim, Secretário Especial de Cultura do Governo Bolsonaro, parafraseia Joseph Goebbels, ministro da Propaganda da Alemanha nazista, segue repercutindo negativamente.

A Confederação Israelita do Brasil, a Conib, emitiu uma nota, nesta quinta-feira, 16, considerando a ação “inaceitável”. O órgão ainda afirma que “emular a visão do ministro da Propaganda nazista de Hitler, Joseph Goebbels, é um sinal assustador da sua visão de cultura, que deve ser combatida e contida.

No fim da nota oficial, a Conib pede o afastamento de Roberto Alvim. Confira o comunicado na integra:

“A Conib (Confederação Israelita do Brasil) considera inaceitável o uso de discurso nazista pelo secretário da Cultura do governo Bolsonaro, Roberto Alvim.

Emular a visão do ministro da Propaganda nazista de Hitler, Joseph Goebbels, é um sinal assustador da sua visão de cultura, que deve ser combatida e contida. Goebbels foi um dos principais líderes do regime nazista, que empregou a propaganda e a cultura para deturpar corações e mentes dos alemães e dos aliados nazistas a ponto de cometerem o Holocausto, o extermínio de 6 milhões de judeus na Europa, entre tantas outras vítimas.

O Brasil, que enviou bravos soldados para combater o nazismo em solo europeu, não merece isso. Uma pessoa com esse pensamento não pode comandar a cultura do nosso país e deve ser afastado do cargo imediatamente.”

Reportagem de Fabio Pravidelli, do site Aventuras na História.

guazelli

Todos Posts

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado.