O juiz Marcelo Ferreira, da 12ª Vara Cível de Curitiba,  negou nessa terça-feira (11) pedido dos vereadores Toninho da Farmácia e Zezinho do Sabará para suspender a reunião do diretório do PDT marcada para esta quinta-feira (13), na qual será julgado o pedido de expulsão dos dois do partido. A defesa dos dois está a cargo do advogado Cristiano Hotz, nomeado no gabinete do prefeito Rafael Greca (DEM).

De acordo com o PDT, o processo de expulsão foi aberto pelo fato dos vereadores comporem a base de Greca, contrariando orientação do partido presidido pelo ex-prefeito e deputado federal Gustavo Fruet.

“Desrespeitando orientação e os valores defendidos pelo partido, votaram inclusive a favor do pacotaço do prefeito que promoveu o maior aumento de impostos da história de Curitiba”, diz a nota divulgada pela legenda quando o processo de expulsão foi aberto.

Ao analisar o pedido de Hotz, que alegava cerceamento de defesa, o juiz Marcelo Ferreira afirma que a prova documental apresentada “vai no sentido contrário” e que os vereadores sequer compareceram as reuniões do partido que trataram do tema. “A ausência deliberada e a clara opção por desconsiderar a orientação e bandeira partidária sepulta a nulidade invocada”, destaca o magistrado.

Se confirmada a expulsão, a tendência é que o PDT entre na sequência com pedido na Justiça Eleitoral para que os suplentes assumam as cadeiras de Toninho e Zezinho na Câmara Municipal.

Do site Contraponto.

guazelli

Todos Posts

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado.