Partido que elegeu Jair Bolsonaro à presidência em 2018, o PSL aproveitou para surfar na onda de críticas contra o chefe do Planalto nesta terça-feira 18 por seu ataque de cunho sexual contra a jornalista Patrícia Campos Mello, da Folha de S.Paulo.

“O PSL preza pela liberdade de imprensa e respeito pelos indivíduos. As agressões contra a jornalista Patrícia Campos Mello são inaceitáveis e merecem o repúdio dos brasileiros de bem. A atitude, além de ofensiva, demonstra pouco apreço pela democracia”, postou o partido no Twitter.

Bolsonaro deixou a legenda criando um racha e criando desafetos políticos, como o presidente da sigla, Luciano Bivar. Ele está no processo de criação de um novo partido, Aliança pelo Brasil.

Brasil247.

guazelli

Todos Posts

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *