O prefeito da capital paulista, Bruno Covas (PSDB), anunciou ontem (16) uma série de medidas para evitar o aumento do número de casos de contaminação por coronavírus. Mas em vez de fazer um amplo anúncio em entrevista coletiva, o tucano priorizou um aliado político, o apresentador José Luiz Datena, para comunicar a medida. A medida só foi oficializada duas horas depois, em nota. Segundo o prefeito, o número de casos na cidade tem aumentado entre 40% e 50% por dia e medidas para evitar aglomerações de pessoas vêm sendo tomadas.

“É recomendável juridicamente que as medidas administrativas não tratadas explicitamente pela Portaria do Ministério da Saúde e que foram solicitadas pelas autoridades sanitárias municipais sejam objeto de um Decreto Municipal (de estado de emergência)”, argumentou o secretário municipal de Justiça, Rubens Rizek, justificando a decretação de estado de emergência. Com a medida, o governo municipal fica autorizado a fazer contratações e compras emergenciais.

Covas anunciou o fechamento por tempo indeterminado de centros culturais, esportivos e unidades da assistência social, exceto abrigos. Todos os eventos com potencial de aglomeração de pessoas estão proibidos. A partir de amanhã, o rodízio municipal de veículos será suspenso, com o objetivo de reduzir a procura pelo transporte coletivo. Os ônibus serão lavados com água sanitária em todos os pontos finais, antes da próxima viagem. Outras medidas para o transporte coletivo devem ser definidas amanhã, em reunião do governo paulista com prefeituras da Região Metropolitana de São Paulo.

Segundo Covas, os servidores com mais de 60 anos, imunodeprimidos, grávidas e pessoas em tratamento contra câncer passarão a fazer trabalho remoto. Exceto os trabalhadores da saúde e da segurança pública, os quais também estão com férias e abonos suspensos. As equipes que permanecerem em seus postos vão passar a trabalhar em dois turnos, para reduzir a convivência de pessoas nas unidades.

As escolas da rede municipal seguem em redução de aulas e ficarão fechadas a partir de segunda-feira (23). Covas disse que está fazendo um levantamento de crianças em situação de vulnerabilidade social e meios de garantir a oferta de refeições a elas. Todas essas medidas dependem do decreto de estado de emergência.

O prefeito afirmou que a cidade vai disponibilizar mais 490 leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTI) para atendimento de casos graves de coronavírus. As cirurgias eletivas foram suspensas e a cidade deve ter estes leitos disponíveis para em até 20 dias. Covas reafirmou que pessoas com suspeitas de infecção por coronavírus devem procurar a unidade de saúde mais próxima de sua casa.

Rede Brasil Atual.

Imagem: Rovena Rosa.

guazelli

Todos Posts

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *