O Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) recomendou à Polícia Militar que feche ou interdite as lojas da Havan que desrespeitem o decreto do governador governador Carlos Moisés (PSL) determinando o fechamento do comércio.

Pelo decreto, somente os comércios essenciais, como supermercados, farmácias e postos de gasolina podem continuar funcionando. Mas a rede Havan pretendia manter abertos alguns setores em suas lojas.

​A recomendação, assinada pelo promotor Eduardo Paladino, coordenador do Centro de Apoio Operacional do Consumidor, e pela promotora Analú Librelato Longo, da 29ª Promotoria de Justiça da Capital, pede que a Polícia Militar atue mesmo que as lojas estejam abertas parcialmente, com apenas um setor em funcionamento.

Do site Esmael Morais.

guazelli

Todos Posts

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *