Jair Bolsonaro e Frederick Wassef são alvos de um procedimento preliminar aberto no último dia 15 pelo procurador-geral da República, Augusto Aras, para apurar se há elementos suficientes para abertura de um inquérito – pedido por um advogado de São Paulo – contra os dois por crimes de advocacia administrativa, tráfico de influência e corrupção em acordo envolvendo a Aeroportos Brasil Viracopos, que administra o aeroporto internacional localizado em Campinas, no interior de São Paulo. As informações são de Fábio Leite, na revista Crusoé nesta sexta-feira (25).

Segundo a reportagem, Wassef teria sido contratado pela empresa por R$ 5 milhões, enquanto advogava para Bolsonaro, para prestar “consultoria jurídica e estratégica” para livrar a concessionária da falência, caso a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) decretasse a extinção do contrato de concessão por descumprimento de contrato, e atuar como lobista para viabilizar um acordo de relicitação ou vender a concessão para outro grupo de investidores.

Wassef foi contatado por um executivo da Triunfo, uma das acionistas da concessionária, em 13 novembro de 2019 para iniciar as tratativas. No dia posterior, o empresário chegou para a reunião no apartamento de Wassef, onde estava o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos). O executivo, segundo a revista, foi apresentado senador e rasgou elogios a Jair Bolsonaro. Minutos depois, Wassef teria acertado o contrato de R$ 5 milhões com a concessionária.

Reviravolta

A partir dai, segundo a revista, a concessionária teve uma reviravolta nos processos que era alvo. No dia 22 de janeiro, o presidente do Superior Tribunal de Justiça, João Otávio Noronha – que busca indicação de Bolsonaro a uma cadeira no Supremo Tribunal Federal (STF) -, suspendeu o processo por caducidade e impediu a decretação de falência da empresa.

Com a suspensão, a empresa conseguiu aprovar um plano de recuperação judicial na assembleia de credores e deu o primeiro passo para o processo de relicitação.

O decreto autorizando a relicitação foi assinado por Bolsonaro em julho. Dois meses antes, ele recebeu, sob intermediação de Wassef, o presidente do conselho de administração de Viracopos, João Villar Garcia, o Nico, no Palácio do Planalto. No mesmo dia, 14 de maio, Bolsonaro e Wassef se reuniram por 15 minutos antes do encontro do presidente com o executivo da concessionária.

Reportagem da Revista Fórum.

guazelli

Todos Posts

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado.