O pastor e teólogo Milton Ribeiro, ministro da Educação do governo Bolsonaro, pode responder pelo crime de homofobia por uma fala feita em uma das poucas entrevistas à imprensa que concedeu desde que assumiu o cargo, em julho.

Neste sábado (26), a procuradoria-geral da República (PGR), através do vice-procurador-geral, Humberto Jacques de Medeiros, enviou ofício ao Supremo Tribunal Federal (STF) solicitando que a corte abra um inquérito contra Ribeiro.

Ao jornal Estadão nesta semana, Ribeiro disse que o “caminho do homossexualismo” se dá por “famílias desajustadas”. O termo “homossexualismo” foi banido pela Organização Mundial da Saúde (OMS) pelo fato do sufixo “ismo” se referir a doenças. O termo correto é homossexualidade e há mais de 30 anos a orientação sexual não é tida como uma patologia.

A declaração, que carrega um evidente tom homofóbico, foi alvo de inúmeras críticas, endossadas pela PGR no pedido feito ao STF.

Reportagem de Ivan Longo, da Revista Fórum.

guazelli

Todos Posts

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado.