Em transmissão conjunta pela internet, nesta segunda-feira (20), o presidente da Câmara Municipal de Curitiba (CMC), Tico Kuzma (Pros), anunciou ao prefeito Rafael Greca que, com as políticas de economicidade do Legislativo, foram economizados mais R$ 5,8 milhões, já devolvidos aos cofres públicos. Ao agradecer, o chefe do Executivo anunciou que o recurso será gasto na recuperação de unidades de saúde da capital do Paraná. Com isso, a CMC economizou, no ano, R$ 25,8 milhões.

“Este é o fruto do esforço de todos os vereadores, vereadoras e servidores dessa Casa, trabalhando com economicidade e com uma gestão inovadora. Estamos transferindo, nesta manhã, mais R$ 5.811.934,32 aos cofres do Município. Temos a certeza que o prefeito e as secretarias saberão utilizar esse recurso em prol da população, para melhorar a vida das pessoas”, declarou Kuzma, ao final da sessão plenária.

A fala foi acompanhada pelo prefeito Rafael Greca e pelos secretários municipais, que naquele momento unificaram as atividades híbridas do Legislativo e do Executivo para o anúncio. “Os recursos serão integralmente utilizados na causa da saúde pública de Curitiba, sobremaneira na recuperação dos equipamentos públicos, das unidades de saúde da cidade. Ficamos profundamente gratos pelo gesto da Câmara Municipal”, agradeceu Greca.

O prefeito aproveitou para anunciar que, nesta manhã, o Ministério da Saúde confirmou que não houve transmissão de HIV das mães para recém-nascidos neste ano na cidade. “Eu também tenho uma boa notícia, que não há berço com HIV em Curitiba!”, comemorou Greca.

Economia recorde
Com o anúncio da nova devolução, a CMC atingiu uma economia recorde de recursos em 2021, de R$ 95,8 milhões. Somados os quase R$ 70 milhões que o Legislativo teria direito, mas já abriu mão na Lei Orçamentária Anual (LOA), os R$ 20 milhões no início deste mês e o novo repasse de R$ 5,8 milhões. Com isso, o Legislativo supera a marca obtida em 2020, quando a economia foi de R$ 91 milhões, e consolida duas décadas de progressiva eficiência na gestão dos recursos públicos da cidade. O valor final, contudo, pode ser ainda maior, pois depende do encontro das contas do Executivo com o Legislativo, no cálculo final da receita corrente líquida. A economia total será conhecida na prestação de contas quadrimestral, em fevereiro do ano que vem.

ASCOM – CMC.

guazelli

Todos Posts

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado.