O dono da Construtora Valor afirmou que o ministro da Saúde, Ricardo Barros, participou de uma “venda” de cargo no governo do Paraná. A partir da negociação com Barros, a construtora manteve um pagamento mensal de R$ 15 mil.
Na delação, Eduardo Lopes disse que o dinheiro era entregue ao cunhado de Barros, o ex-vereador de Curitiba Juliano Borghetti, irmão da governadora interina do Paraná, Cida Borghetti.
Os relatos apontam que a negociação com Barros ocorreu no início de 2015, quando o político era deputado federal pelo Paraná. Barros e Juliano Borghetti negam qualquer acordo de compra de cargo com a Valor.

guazelli

Todos Posts

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado.