O pedido da defesa do presidente Michel Temer para considerar o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, suspeito para atuar nas investigações relacionadas ao presidente, foi negado por unanimidade no Supremo Tribunal Federal (STF) nesta quarta-feira (13/09).
Os nove ministros presentes votaram para manter Janot à frente das investigações até o dia 17 de setembro, quando termina o mandato dele na PGR.
Segundo Fachin, a defesa não comprovou a alegação de que Janot agiria por perseguição e inimizade em relação a Temer.

guazelli

Todos Posts

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado.