O juiz da 2ª Vara da Fazenda Pública de Curitiba, Tiago Gagliano Pinto Alberto, suspendeu, em caráter liminar, a sessão que votaria o relatório que pede a cassação da vereadora Katia Dittrich. A parlamentar é acusada de ter exigido parte do salário de assessores que estavam lotados em seu gabinete.
A sessão que votaria o relatório final aprovado pela comissão processante que investigou Katia Dittrich seria realizada na tarde desta quarta-feira (13/12). Na decisão que suspendeu a sessão e o processo administrativo contra a vereadora, o juiz acolheu liminarmente os argumentos da defesa, que apontou que a comissão extrapolou os 90 dias que correspondiam ao prazo para a conclusão do processo.
O prazo começou a contar a partir de 23 de agosto deste ano, quando a vereadora foi notificada da instauração da comissão processante. Segundo a defesa, a Câmara deveria ter concluído o processo em 21 de novembro, mas não o fez. Com o esgotamento do período legal, os advogados de vereadora alegam que o caso deveria ter sido arquivado.
O presidente da comissão processante, vereador Cristiano Santos (PV), havia colocado o relatório em votação porque fez a contagem em dias úteis. O juiz, no entanto, apontou que o prazo deveria ter sido contado em dias corridos.

guazelli

Todos Posts

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado.