Capitão e campeão: Deivid comemora novo momento com título do estadual

Um dos jogadores mais experientes na conquista do Atlético Paranaense no Campeonato Estadual, o volante Deivid completou 288 partidas com a camisa rubro-negra. Após o triunfo diante do Coritiba, o capitão foi o responsável por levantar a taça.

 

Aos 29 anos, o camisa 5 no torneio conquistou pela segunda vez o Campeonato Paranaense. Além do título deste ano, Deivid levantou a taça em 2016. Com sete gols marcados vestindo a camisa atleticana, o volante segue escrevendo capítulos em sua história no Rubro-Negro.

 

Desde 2005 no Clube, o título estadual representa um novo momento para o jogador. “Já comentaram que eu voltei a ser aquele Deivid que apareceu em 2011”, afirmou o capitão, relembrando um ano em que se destacou individualmente.

 

Inscrito na Conmebol Sul-Americana, o volante concedeu uma entrevista especial ao Site Oficial e falou mais sobre a conquista do último domingo (8).

 

 

Confira, abaixo, entrevista especial com Deivid, capitão do título do Paranaense 2018:

 

 

Site Oficial: Como você avalia essa conquista do Campeonato Paranaense?

Deivid: Foi merecida. A nossa equipe foi a que mais buscou o título no campeonato. Não tinha outro resultado que não fosse levantar esse troféu. Não tenho como esconder a felicidade, principalmente por tantos anos no Clube.

 

Site: Como foi seu relacionamento com o grupo e dividir a experiência com atletas mais jovens?

Deivid: Foi muito bom. Quando incorporei o grupo, falei que estaria feliz em participar do sonho deles. Tinham atletas com dez anos a menos que eu. Todos têm um futuro promissor. Mas deixei claro que queria um novo momento na minha carreira, depois de um ano muito difícil. Então, eu também precisava deles.

Site: A conquista do Estadual, da maneira como aconteceu, foi uma redenção?

Deivid: Exatamente. Muitos já comentaram que eu voltei a ser aquele Deivid que apareceu em 2011, com muita marcação. E consegui agregar com o que aprendi, saindo mais para o jogo, marcando gols. Os anos de experiência me ajudaram a melhorar.

Site: Além do grupo, qual foi a importância da família e dos amigos para esse novo momento?

Deivid: Eles foram fundamentais. Tenho também amigos dentro do Clube que sempre me apoiam.

Site: Teve algum jogo mais marcante nesta campanha do título?

Deivid: Eu vivi esse campeonato com muita intensidade. O primeiro e o último [jogo] sempre marcam. Eu vinha de um ano ruim. Estava sem ritmo e não sabia se estava preparado. No primeiro jogo, com três minutos, tenho uma chance e faço o gol. Ali eu sabia que seria um bom campeonato. E o último jogo foi marcante pelo título.

 

Site: No último clássico, você completou 288 jogos pelo Atlético Paranaense. O que essa marca representa para você?

Deivid: Fico feliz. Não só pela marca de jogos, mas principalmente pelos anos no Clube. Estou feliz e me sinto bem-sucedido, porque não é fácil ficar tanto tempo em um clube.

Site: Agora, vamos voltar no tempo. Você chegou ao Clube em 2005. Como foi a adaptação naquele início no Rubro-Negro?

Deivid: Difícil, né? Eu era um menino que tinha um sonho, mas estava lesionado. Eu vim decidido a melhorar e quando tivesse uma oportunidade, ficar.

Site: Em todo este período, você tem alguma história engraçada dos bastidores?

Deivid: A Seleção Brasileira esteve no CT em 2010. Eu estava viajando e o pessoal tentou me ligar. Quando cheguei em Curitiba, falaram que estavam me ligando para treinar com a Seleção. Eu estava indo para o aeroporto. O telefone escorregou e ficou lá. O pessoal tirou muito sarro porque eu perdi essa oportunidade.


Site: 
Muitos te conhecem pelo apelido “Coquinho”. Como surgiu isso?

Deivid: Coquinho é de infância. Eu devia ter uns seis anos. Não lembro bem como surgiu, mas é nítido. Você olha minha cabeça, minha cor, parecido com coco. Meu tio me contou isso e surgiu o Coquinho. Pegou e eu levo numa boa. É algo de infância. Quando deixaram de colocar Coquinho na camisa, era estranho quando me chamavam de Deivid. Hoje, estou mais acostumado, todos me conhecem mais como Deivid.

 

Site: As pessoas sabem muito bem como é o Deivid dentro de campo. Mas fora de campo, como é o Deivid no dia a dia?

Deivid: Sempre fui muito tranquilo. Tenho minhas filhas que estão comigo e passo o tempo com elas. Todos sabem o calendário que a gente tem, então não conseguimos ficar muito perto dos familiares. Quando tenho folga, prefiro ficar com eles e passear. Esse é o Deivid no dia a dia.

 

Site: A torcida rubro-negra demonstrou muito carinho na disputa do Estadual. O que torcedor representa para o Deivid?

Deivid: Representa o coração. Aquilo que eu aderi para a minha carreira. O futebol precisa de esforço e a minha posição exige isso. Eles sabem que quando eu entro em campo, eu me entrego de alma e coração. Agradeço ao torcedor por tudo, porque eles são muito importantes para o Clube.

 

Site: Após a conquista do Estadual, como você analisa a sequência da temporada, com Copa do Brasil, Campeonato Brasileiro e Conmebol Sul-Americana?

Deivid: Agora, é foco total. Esse é objetivo do Clube, buscar uma grande conquista. Campeonatos nacionais não são fáceis. Temos que focar nas competições, porque quando as coisas funcionam coletivamente, e todo mundo tem o mesmo pensamento, as coisas acontecem.



guazelli

Todos Posts

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *