Ajude a manter o Portal Verdade&Expressão no ar, doe agora!

O ensino a distância (EaD) vem ganhando cada vez mais espaço no Brasil. Isso se deve, em parte, ao fato de a modalidade ser uma opção para conciliar os estudos com outras atividades, como trabalho, cuidar da família ou qualquer outra prioridade.

De acordo com dados do Censo da Educação Superior de 2022, do Ministério da Educação (MEC), 85% dos alunos de EaD também trabalham. Isso demonstra que essa alternativa de estudo está ainda mais popular para quem precisam conciliar diferentes afazeres.

Além disso, a flexibilidade que o modelo oferece aos estudantes acaba se tornando um fator singular. A rotina, horários e tudo aquilo que for adaptável é levado em consideração para as pessoas que precisam estudar em momentos que sejam mais convenientes no seu dia a dia. Isso pode ser especialmente importante para estudantes que, por exemplo, trabalham na maior parte do dia ou que possuam responsabilidades familiares.

Nos últimos anos, o EaD foi o principal responsável pelo crescimento do ensino superior no Brasil. Isso se deve em grande parte pela queda da quantidade de alunos no ensino presencial – impactado pelo fim do FIES. O ensino a distância tem ofertado cursos com mensalidades mais acessíveis, com algumas atividades sendo realizadas dentro da sala de aula, e comprometendo, em média, 17% da renda do aluno conta 30% da graduação presencial.

A modalidade, assim como os cursos presenciais, segue as Diretrizes Curriculares Nacionais, que exigem a presença dos estudantes em atividades práticas, participação em atividades de extensão, estágios práticos, avaliação e outras necessidades observadas para a conclusão dos cursos.

“A situação atual dos estudantes do ensino superior é caracterizada por diversas demandas profissionais, responsabilidades domésticas e desafios de deslocamento, representando obstáculos significativos para a conclusão de uma graduação. Nesse contexto, o Ensino a Distância (EaD) emerge como a única solução possível e viável para esse público. Essa modalidade oferece a flexibilidade necessária, permitindo que os alunos acessem conteúdo educacional de qualquer lugar e a qualquer momento. Essa flexibilidade facilita a conciliação entre os estudos e outras responsabilidades, tornando o processo educacional mais acessível e adaptável às demandas individuais dos estudantes”, destaca Flávia Frutos, reitora da Universidade Anhanguera.

O ensino a distância é uma opção que pode contribuir para a democratização do acesso à educação, já que acaba tornando o ensino mais acessível para estudantes de diferentes classes sociais e regiões do país, inclusive para aqueles que precisam conciliar os estudos com outras funções que necessitam exercer diariamente.

Via assessoria.

guazelli

Todos Posts

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Arquivos

Anuncie no VE

Publicidade

Anuncie aqui