A Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) rejeitou nesta terça-feira (28/11) um pedido de liberdade apresentado pelo deputado cassado Eduardo Cunha (PMDB-RJ).
Entretanto, mesmo que o habeas corpus fosse aceito, Cunha permaneceria preso porque há outras três ordens de prisão contra ele.
Edson Fachin e Dias Toffoli votaram contra soltar Eduardo Cunha e Gilmar Mendes votou a favor.
Durante a sessão, o relator do caso, Edson Fachin, considerou que ainda existe risco dele voltar a cometer crimes caso seja solto.
Cunha foi preso em Brasília em outubro do ano passado por determinação do juiz Sérgio Moro. Posteriormente, foi transferido para Curitiba.

guazelli

Todos Posts

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado.