A comissão processante que analisou a denúncia contra a vereadora Katia Dittrich se reuniu na tarde desta sexta-feira (08/12) para votar o resultado da investigação. Ela é acusada de se apropriar de parte do salário de alguns assessores nomeados para a Câmara Municipal de Curitiba. A parlamentar, conhecida como “Katia dos Animais de Rua”, foi expulsa do Solidariedade nesta semana.
A votação na comissão processante não foi unânime. O relator Osias Morais (PRB) defendeu que se tratava de uma trama orquestrada por denunciantes “magoados”, e os demais integrantes da comissão, vereadores Cristiano Santos (PV) e Toninho da Farmácia (PDT), votaram pela procedência da acusação. O resultado da análise feita na comissão processante vai a julgamento em plenário, pelos demais vereadores, ainda em dezembro mas sem data marcada.
O relator do caso, Osias acredita que os denunciantes se contradisseram em vários momentos e que, apesar da apresentação de extratos bancários, não conseguiram comprovar que se tratava de uma irregularidade. Ele acatou a alegação da defesa de que eram empréstimos.
Como presidente da comissão processante, Cristiano Santos divergiu do relator e apresentou um voto em separado. O vereador disse que a defesa não conseguiu provar que se tratavam de empréstimos e não comprovou nem a motivação nem a devolução dos recursos. A situação foi então desempatada pelo terceiro integrante, vereador Toninho da Farmácia. Ele defendeu que havia bons argumentos nos dois votos e que, para evitar injustiças, a questão deveria ser decidida pela soberania do plenário. Contudo, acompanhou o voto em separado e optou pela indicação de cassação do mandato.

guazelli

Todos Posts

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado.